Variety divulgou hoje que a Scarlett Johansson que iria estrelar e produzir um novo filme dirigido por Rupert Sanders chamado “Rub & Tag” não fará mais parte do projeto. Confira a tradução da matéria abaixo:

Scarlett Johansson saiu do drama “Rub and Tug” pouco mais de uma semana depois de seu escalamento ter provocado reações violentas em meio a grupos de trans e ativistas, uma fonte com conhecimento da situação confirmou à Variety.

“À luz das recentes questões éticas levantadas em torno do meu escalamento como Dante Tex Gill, decidi retirar minha participação no projeto respeitosamente”, disse Johansson à Out Magazine, que primeiro noticiou a notícia, em um comunicado. “Nossa compreensão cultural das pessoas trans continua avançando, e eu aprendi muito com a comunidade desde que fiz minha primeira declaração sobre o meu casting e percebi que era insensível. Tenho grande admiração e amor pela comunidade trans e agradeço que a conversa sobre inclusividade em Hollywood continue. De acordo com a GLAAD, os personagens LGBTQ+ caíram 40% em 2017 em relação ao ano anterior, sem representação de personagens trans em nenhum grande lançamento de estúdio”.

“Embora eu tenha adorado a oportunidade de trazer a história e a transição de Dante à vida, entendo por que muitos acham que ele deveria ser retratado por uma pessoa transexual, e agradeço que esse debate, embora controverso, tenha provocado uma conversa mais ampla sobre a diversidade e representação no cinema”, continua a declaração. “Acredito que todos os artistas devam ser considerados iguais e justos. Minha produtora, a These Pictures, busca ativamente projetos que entreter e ultrapassar fronteiras. Estamos ansiosos para trabalhar com todas as comunidades para levar essas histórias mais pungentes e importantes para o público em todo o mundo.”

O New Regency ganhou um leilão para o filme em 2 de julho, e foi programado para ser dirigido por Rupert Sanders, que já trabalhou com Johansson em “Ghost in the Shell”.

“Rub and Tug” foca em Dante “Tex” Gill, um chefão do crime que usou seu salão de massagens como fachada para prostituição nos anos 70 e 80. Gill nasceu Lois Jean Gill, mas identificado como homem.

Johansson e a produção foram golpeados nas mídias sociais, com muitos pressionando por um ator trans para interpretar Gill.

O representante de Johansson enviou anteriormente uma declaração para vários meios de comunicação em resposta à reação, que não ajudou a acabar com a controvérsia: “Diga a eles que eles podem ser direcionados aos representantes de Jeffrey Tambor, Jared Leto e Felicity Huffman para comentar”.

A GLAAD respondeu à notícia com um comunicado na sexta-feira, celebrando a decisão, bem como aqueles que se manifestaram contra o elenco.

“O anúncio de Scarlett Johansson, juntamente com as vozes dos transgêneros que falaram sobre este filme, estão revolucionando o futuro das imagens transgênero em Hollywood”, disse a presidente e CEO da GLAAD, Sarah Kate Ellis. “Hollywood mudou a forma como os americanos entendem as vidas de gays e lésbicas, e a TV está começando a fazer o mesmo com pessoas transexuais, com representações autênticas de transgêneros sendo grandes sucessos junto à crítica e ao público. A indústria cinematográfica tem uma oportunidade real de fazer o mesmo ”.

Atualmente não está claro como a produção de “Rub and Tug” está após a saída de Johansson.