Em 2014 a desenvolvedora de jogos eletrônicos Zoë Quinn se viu no centro de uma grande polêmica após lançar um elogiado game e ser alvo de uma série de “acusações” por parte de um ex-namorado. O tal rapaz postou em seu blog um texto contando detalhes do relacionamento entre os dois visando deslegitimar críticas positivas recebidas pela obra. A jovem passou a receber várias ameaças e a controvérsia desencadeou o chamado Gamergate.

Zoë decidiu relatar os ataques misóginos sofridos no livro Crash Override: How to Save the Internet From Itself, que será publicado apenas em setembro de 2016, mas já tem adaptação cinematográfica confirmada. Amy Pascal, ex-Sony, vai produzir o drama que terá roteiro das jornalistas Rebecca Angelo e Lauren Schuker Blum. Scarlett Johansson foi a escolhida para interpretar a protagonista.

Fonte: Pure People