25.04
2022

Com exclusividade, o Deadline publicou hoje que Scarlett Johansson e Chris Evans estão definidos para estrelar o novo filme “Projeto Artemis“, com a estrela de Ozark, o diretor e produtor executivo Jason Bateman, sendo o diretor do longa.

A Apple, que neste domingo se tornou o primeiro serviço de streaming a ganhar o prêmio de “Melhor Filme” no Oscar 2022, por Coda desembolsou mais de 100 milhões de dólares para o projeto.

Os detalhes da trama estão sendo mantidos em sigilo, mas rumores dizem que o projeto é sobre a corrida espacial. O roteiro é de Rose Gilroy, filha do roteirista e diretor Dan Gilroy e da atriz René Russo.

Scarlett, que foi duas vezes indicada ao Oscar, irá produzir o filme juntamente com Jonathan Lia e Keenan Flynn por meio de sua produtora These Pictures, que encomendou e desenvolveu o roteiro. Bateman produzirá através da Aggregate Films, sua própria produtora.

Evans e Johansson estão procurando projetos para se unir após o fim de seus dias de Vingadores e quase conseguiram isso em Ghosted, outro projeto que a Apple comprou. Scarlett abandonou o projeto após conflitos de agenda, então Ana de Armas entrou em seu lugar.

Apple e Johansson também estão juntos em outro projeto, Bride, que está atualmente em desenvolvimento. A atriz está estrelando e produzindo, enquanto Sebastián Lelio, vencedor do Oscar, será o diretor do filme.

Apple, CAA e representantes se recusaram a comentar.

23.02
2022

A última vez que encontrei Scarlett Johansson, sete anos atrás, ela tinha acabado de dar à luz a sua filha, Rose, e levou o bebê para a coletiva de imprensa para o lançamento de uma linha de beleza luxuosa. Johansson estava atrasada, de acordo com seus assessores que mantiveram os detalhes vagos. Ela chegou minutos depois, visivelmente radiante e revigorada, especialmente para alguém que estava apenas alguns meses após o parto. “Sinto muito, estava amamentando minha filha”, ela explicou com um calor e familiaridade que eram desarmantes vindos da mulher que em breve se tornaria a atriz mais bem paga do mundo. Quando nos encontrarmos novamente, no final do outono, desta vez pairando sobre nossos respectivos computadores, eu estava me escondendo dos meus filhos em um canto do meu porão transformado em escritório, enquanto Johansson estava sentada em seu quarto de portas fechadas, protegida, no momento, de sua filha e seu filho, Cosmo, que acabava de completar três meses. O plano de fundo do Zoom dela revela um papel de parede alegre com estampa de folhas que a atriz, de 37 anos, instalou durante a pandemia para simular climas mais tropicais ou, ela brinca, um lar de idosos em South Beach. “Sinto muito pelo atraso, tive que bombear meu peito”, diz ela, exibindo um sorriso de megawatt [grandioso].

Algumas coisas, ao que parece, não mudaram, outras sim. “Fui o rosto de várias marcas de luxo ao longo da minha carreira, e todas essas experiências foram realmente maravilhosas. Mas… Como eu explico isso?” ela pausa, um boné de beisebol preto semi-escurecendo uma sobrancelha franzida. “Acho que sempre senti que estava interpretando uma personagem nessas campanhas e, na medida que evolui, queria criar e representar uma marca que fosse fiel a mim.” Este mês, Johansson cumpre esse objetivo com The Outset , uma linha de seis peças essenciais para cuidados com a pele que oferece fórmulas simples, limpas, eficazes e acessíveis. Johansson não é a primeira celebridade a entrar no jogo da beleza.

Só no ano passado foram criadas novas marcas de Jennifer Lopez, Jennifer Aniston, Jada Pinkett Smith, Priyanka Chopra Jonas e a cantora Halsey, entre outras celebridades que esperam adicionar “fundador” aos seus currículos. Mas há muito poucos esperançosos de beleza com franquias de super-heróis da Marvel e companhias independentes – e ainda menos que possuem a intrigante camada que sempre girou em torno de Johansson: a loira atrativa, a rainha da beleza, a assassina durona. “Entrei em nosso primeiro encontro meio que respirando fundo pensando: Puta merda, estou prestes a conhecer Scarlett Johansson”, diz Kate Foster Lengyel, cofundadora da The Outset, uma veterana da indústria que foi apresentada à Johansson por meio de amigos em comum. Ela também ficou imediatamente encantada com a inteligência e o humor de Johansson, que se traduz como uma espécie de energia de garota normal que você simplesmente não espera da Natasha Romanoff.

“Ela é a ‘velha Hollywood’ dessa maneira”, confirma seu maquiador de longa data, Frank B. Mas ser uma conversadora envolvente não necessariamente faz de você uma boa parceira de negócios, reconhece Foster Lengyel, que estava cautelosa em trabalhar em mais uma linha de beleza de celebridades, até que Johansson a dissuadiu com: uma marca de cuidados com a pele construída em torno de seus próprios rituais de beleza e o sucesso que ela teve gerenciando as espinhas, o ressecamento e as doenças gerais que vêm com muitas horas passadas na cadeira de maquiagem e na frente de a câmera. (“Ela sempre diz: ‘Se eu não fosse ator, seria dermatologista!’”, revela Frank B.)

Johansson havia levado seu argumento claro e entregou fundamentos nos diferentes tipos de vários grupos achados em farmácias, tradições de boticário e eficácia de farmácia francesa para “os grandões” (Shiseido, Estée Lauder, etc.). Antes de decidir fazer um produto que segurasse até suas próprias expectativas, ela precisaria fazê-lo do zero. Johansson teve algumas ligações introdutórias com Foster Lengyel antes de elas finalmente se sentarem para almoçar pessoalmente – no momento em que Nova York entrou em confinamento. “De certa forma, isso [quarentena] acelerou nosso relacionamento, porque agora tínhamos esse outro tipo de intimidade”, diz Johansson sobre como as duas mulheres construíram sua marca pelo Zoom e via FedEx, enquanto ensinavam seus filhos em casa e lidavam com o medo e a incerteza que tem atormentado muitos de nós nos últimos dois anos.

Essa experiência compartilhada — e a orientação de um desenvolvedor de produtos com experiência em química que as educou sobre tudo, desde polímeros à parabenos de acordo com os padrões de ingredientes limpos da Credo — ajudou a finalizar sua variedade de produtos: O Limpador Antioxidante Micelar Suave que lava as impurezas sem descascar a pele, enquanto o Firming Vegan Collagen Prep Serum aumenta a hidratação, e o Nourishing Squalene Daily Moisturizer oferece uma bebida refrescante para peles ressecadas. Esse regime de três etapas, assim como o resto da linha que inclui um rico creme noturno com niacinamida, um creme calmante de vitamina C para os olhos e um tratamento para os lábios, todos vendidos por menos de $55 dólares [aproximadamente $280 reais] e apresentam um conjunto de hialuro, uma alternativa botânica ao ácido hialurônico hidratante que preenche e suaviza as linhas finas.

A abordagem “menos é mais” também se estende a uma estética de design minimalista que foi aconselhada para Johansson por seu pai escandinavo que é arquiteto. “Eu queria que parecesse algo que sempre esteve lá”, diz Johansson sobre o que ela insiste que não é uma “marca rosa milenar”; A cor da assinatura do Outset é mais um azul ceilão elétrico, renderizado em letras sans serif na frente de garrafas de vidro recicláveis ​​e tubos de cana-de-açúcar de bioresina. Johansson é o rosto da marca, mas não o único. Ela é acompanhada por um elenco diversificado, composto principalmente por modelos de meio período que trabalham em uma variedade de profissões, desde pessoas que trabalham no ramo da moda até a construção. É parte de uma estratégia projetada para garantir que os produtos possam atender às necessidades cotidianas de todos – e que possam se manter por conta própria, fora do turbilhão de beleza das celebridades.

Foi isso que chamou a atenção de Priya Venkatesh, vice-presidente sênior de merchandising para cuidados com a pele e cabelos da Sephora, que começará a estocar The Outset em abril. “Quando nos pediram para fazer a reunião com Scarlett, eu estava brincando que conversei com tantas celebridades durante o COVID, que é como se eu tivesse meu próprio Zoom Oscars”, diz Venkatesh sobre o recente fluxo de ligações para seu escritório de agentes e gerentes de Hollywood. “O mundo não precisa de mais produtos”, ela admite, “mas eu realmente gosto da filosofia de cuidados com a pele da Scarlett, que é apenas: cuidados com a pele é algo que deve ser feito todos os dias e deve ser simples”. 

“Ela não está brincando”, enfatiza Foster Lengyel, um sentimento que ficou bem claro para qualquer um (todo mundo) que assistiu a mãe de dois filhos enfrentar a Disney em um processo de quebra de contrato de grande sucesso no verão passado. Johansson entrou com uma reclamação em julho argumentando que o estúdio sacrificou o potencial de bilheteria da Viúva Negra para aumentar seu serviço de streaming Disney+. Grande parte das farpas públicas se concentrou na resposta da Disney, que parecia considerar Johansson gananciosa e insensível ao prejuízo que o COVID havia causado à indústria e ao mundo em geral.

Em privado, Johansson estava administrando uma gravidez e o nascimento de seu filho – que ela e seu marido, Colin Jost, do SNL, mantiveram em silêncio – enquanto lançavam ativamente uma startup. “Foi assustador, muito assustador, dar um passo assim e não saber onde você vai pousar”, ela admite. “A dúvida surgiu muito, e senti uma tristeza avassaladora muitas vezes durante esse período”, continua ela. Mas o apoio de co-estrelas, amigos da indústria e até estranhos ajudaram a impulsioná-la. Jamie Lee Curtis escreveu um ensaio memorável em defesa de Johansson para a Time, emitindo um aviso aos possíveis agressores: “Não brinque com essa mamãe ursa”. “Isso me fez sentir como se eu pudesse empurrar a pedra montanha acima e ela não iria rolar de volta para mim”, diz Johansson, acrescentando que o sucesso lento, mas gradativo, que as mulheres tiveram recentemente em mudar a dinâmica de poder dominada pelos homens da indústria tornou “um bom momento para empurrar a pedra sobre a montanha”.

Parte de seu ímpeto para o processo, que foi resolvido em setembro, foi falar em nome de outras pessoas que enfrentam circunstâncias semelhantes, diz ela. “Agora, será diferente para todos.”. Na medida que o intervalo de tempo do “não perturbe” em que ambos negociamos começa a se aproximar do fim, Johansson me diz que está esperando ativamente que sua mesa de jantar seja retirada do depósito e entregue no novo escritório do The Outset no Flatiron District, onde ela e Foster Lengyel montaram uma equipe de outras oito mulheres. “Está ficando muito real”, diz ela sobre o lançamento iminente da marca e o que isso significa para seu crescimento pessoal, aproveitando o que parece ser todos os sentimentos – excitação, gratidão e ansiedade. “Quero dizer, eu sou a mesma pessoa que sempre fui. Mas acho que estou mais confortável agora com a ideia de que a cada ganho há uma perda.” Essa é uma filosofia que ela também aplicou ao desenvolvimento de seus produtos: novas fórmulas estão sendo consistentemente ajustadas, descartadas e ajustadas novamente. Mas Johansson se manteve firme em suas especificidades para o tratamento dos lábios. “Esse foi o meu projeto passional. Porque eu tenho muita área de superfície [lábios grandes], obviamente”, ela diz com uma risada enquanto elabora a surpreendente textura semelhante a uma loção da pomada. Sua consistência pode ser polarizadora, ela admite, mas esse é apenas outro risco que ela está disposta a correr. Não brinque com Scarlett Johansson – ou seu protetor labial.

Fonte: Vogue Magazine. 

16.02
2022

Scarlett Johansson foi anunciada como uma das novas embaixadoras de David Yurman, designer de joias americano. Ela e o ator Henry Golding são as estrelas da nova campanha Come Closer, gravada em Nova York.

Confira a entrevista completa de Scarlett para a Vogue França, em divulgação da campanha. Tradução feita pela equipe do SJBR.


As cinco peças que uma mulher deve possuir no seu guarda-roupas segundo Scarlett Johansson

Estrela da última campanha do joalheiro americano David Yurman, Scarlett Johansson participou do jogo de questionário Vogue. Veja. 

New York, New York… A canção de Frank Sinatra poderia ser a trilha sonora do encontro entre Scarlett Johansson e o joalheiro David Yurman. Na ocasião da última campanha Come Closer que põe em cena a atriz na perspectiva das lentes do fotógrafo Lachlan Bailey, o joalheiro quis trazer uma luz para a cidade de Nova Iorque, que sempre foi uma inspiração para as peças da marca. Seguindo os passos de Kate Moss, Naomi Campbell ou até mesmo Gisele Bündchen, Scarlett Johansson encarna a novaiorquina audaciosa e moderna, como um reflexo das jóias David Yurman. Para a ocasião ela falou de sua relação com a moda e com a joalheria. Seguem algumas passagens da entrevista.

Qual é a sua primeira lembrança de moda?

Minha primeira lembrança de moda é de ir à boutique “Betsey Johnson” em Nova Iorque para me ajudar a escolher vestidos. Betsey criou uma linha para crianças, porque sua filha, Lulu, era jovem na época. Betsey é uma designer novaiorquina icônica, que possui um estilo único.  

E a melhor memória de moda da sua vida?

Tive a chance de trabalhar com alguns dos maiores designers de trajes e roupas. Um dos meus looks favoritos no tapete vermelho foi um vestido vermelho da Vera Wang que usei no Golden Globes. Ele é confortável, charmoso e chique. Eu amo usar vermelho. 

Como você começou sua aventura com David Yurman?

Crescendo em Nova Iorque, eu tinha o hábito de observar as campanhas magníficas de David Yurman em preto e branco. O visual da marca é um símbolo do estilo novaiorquino – um pouco rígido, mas também romântico e atemporal.

Quais valores você compartilha com David Yurman?

O conhecimento de cada peça é excepcional. Eu acredito que nós compartilhamos a mesma apreciação da intenção artística e da qualidade. 

Quais são as 5 jóias que uma mulher deve possuir em seu guarda-roupas?

  1. Brincos de diamantes solitários
  2. Uma corrente dourada
  3. Um pingente que possui um significado
  4. Um anel rosé
  5. Um par de argolas

E os 5 trajes?

  1. Uma jaqueta de motoqueira
  2. Um jeans perfeito
  3. Um casaco de cashmere 
  4. Um par de “Coverse” branco 
  5. Um batom vermelho

Qual é sua jóia mais sentimental?

Meu anel de noivado escolhido pelo meu marido e o peridoto que ganhei quando minha filha Rose nasceu. 

A última jóia que você gostaria de ter?

Uma safira alaranjada-rosada.

Um conselho para as jovens atrizes?

Nunca antecipe nada.

Seu último conselho de estilo?

Sempre seque suas camisetas ao ar livre!

O que você diria sobre “ter estilo” atualmente?

Não siga as tendências. Vista roupas que você goste e que fiquem bem. 

Qual é a diferença do estilo da mulher americana e da mulher francesa, na sua opinião?

Um estilo atual versus um estilo clássico. 

Um ícone de moda?

Jennifer Gray em “Dirty Dancing”.


Confira as fotos em nossa galeria:

   
LINKS DA GALERIA: CAMPANHAS > DAVID YURMAN > COME CLOSER (2022)
   
LINKS DA GALERIA: CAMPANHAS > DAVID YURMAN > COME CLOSER (2022) – BEHIND THE SCENES

10.12
2021

De seu estúdio em Paris, o escritor e diretor Garth Jennings nos dá uma olhada nos bastidores de como ele fez seu próximo longa-metragem de animação, Sing 2. Jennings fez o vídeo sozinho, que inclui sua explicação do processo, clipes dos dubladores e um pequeno cameo de sua cachorra Luna.

Começando com seu processo de criação de vozes, Jennings explica como ele faz uma versão “scratch” de todas as vozes antes que os atores recebam o roteiro, para ter certeza de que ele está “perfeito”. Enquanto as vozes “scratch” são apenas rascunhos, uma de suas vozes scratch, Miss Crawly, na verdade se tornou uma personagem do filme. Quando se trata dos dubladores, Jennings diz que seu trabalho é “certificar-se de que o ator tenha clareza sobre o que estão fazendo e que eles se sintam confortáveis para tentar coisas diferentes”.

Dirigido por Garth Jennings, Sing 2 segue os eventos do primeiro filme, já que Buster Moon (Matthew McConaughey) planeja estrear um novo show em Redshore City. Depois que seu show esgotado não consegue impressionar a caça-talentos Suki (Chelsea Peretti), Buster faz algumas promessas ridículas de garantir o local. Enquanto seu elenco se prepara para encenar uma nova ópera espacial, Buster parte em uma busca para encontrar a lenda do rock recluso Clay Calloway (Bono) e convencê-lo a se juntar ao show.

Além de McConaughey e Bono, o filme tem um elenco de estrelas, incluindo Taron Egerton, Tori Kelly, Reese Witherspoon, Nick Kroll, Scarlett Johansson, Bobby Cannavale e Halsey.

Sing 2 chega aos cinemas no Natal nos Estados Unidos e 6 de Janeiro de 2022 nos cinemas brasileiros.

Assista ao vídeo abaixo

Fonte: Deadline

22.11
2021

Depois de passar anos na indústria, Scarlett rendeu duas indicações ao Oscar por sua brilhante performance em “Jojo Rabbit” e “Marriage Story”.

No mundo selvagem dos Vingadores, a Viúva Negra, também conhecida como Natasha Romanoff, estabeleceu seu nome como uma das super-heroínas mais capacitadas.

O crédito vai para Scarlett Johansson, que extraordinariamente desempenhou o papel de espiã russa que se tornou super-heroína.

O patriarcado existente no universo cinematográfico Marvel não poderia afastá-la e ela se destacou com suas habilidades de atuação.

Muitos podem conhecê-la apenas como uma atriz de sucesso comercial. Alguns também podem conhecê-la por causa de suas respostas feroz à mídia que muitas vezes fazia perguntas sexistas sobre ela.

No entanto, Scarlett é uma jóia de atriz e todas as fofocas e extravagância à parte, ela fez um grande número de filmes que provam seu valor.

Depois de passar anos na indústria, Scarlett rendeu duas indicações ao Oscar por sua brilhante performance em “Jojo Rabbit” e “Marriage Story”.

Hoje ela completa 37 anos e nós escolhemos os cincos melhores filmes subestimados, onde ela atuou brilhantemente.

  1. Encontros e Desencontros (2003)

A performance de Scarlett como Charlotte em 

“Encontros e Desencontros”, de Sofia Coppola, é, sem dúvidas, uma de suas melhores performances.Bill Murray como ator principal também torna o filme mais interessante.

A premissa apresenta dois estranhos na sedutora cidade de Tóquio, encontrando o conforto que desejam da vida um no outro. Um deles está mentalmente exausto com a chamada “grande vida” que ele criou e o outro [Charlotte] é negligenciado por seu amante em uma cidade estranha. Mas eles, eventualmente, desenvolvem uma bela amizade. 

Com roteiro impecável misturado com uma cinematografia irreal da vida na cidade de Tóquio, este clássico cult pode facilmente chegar aos cinco favoritos de alguém.

  1. Ela (2013)

Este filme pode ser chamado de filme romântico de ficção científica enquanto vemos o ator principal Joaquin Phoenix se apaixonando por um sistema de inteligência artificial chamada Samantha. E adivinha? Scarlett emprestou sua voz para o papel dessa assistente de sistema operacional.

Inicialmente parece estranho ver um homem adulto se apaixonando pela assistente pessoal do seu dispositivo. Porém, lentamente percebemos a dor de um homem divorciado desesperado para preencher o vazio em seu coração.

Eventualmente, o sistema operacional em evolução nos torna mais empáticos com o personagem de Joaquin, enquanto Scarlett, apenas com sua voz, simplesmente nos surpreende.

Cada diálogo entregue por ela tornou este estilo exclusivo de filme mais envolvente.

  1. Ghost World: Aprendendo a Viver (2001)

Este clássico de Terry Zwigoff é um maravilhoso passeio cômico para se entrar. É baseado em uma história em quadrinho alternativa escrita por Daniel Clowes que exibiu um drama fresco do ensino médio equilibrado com necessárias partes de excentricidade.

Neste filme, duas melhores amigas com personalidades diferentes passam por uma aventura peculiar.

Esse foi apenas o início da carreira de Scarlett e, como novata, ela estava acima da média enquanto interpretava a personagem Rebecca.

Rebecca era aquela amiga que tinha a personalidade mais básica. Ela era autoconsciente, inteligente e sarcástica. Todavia, a atuação de Scarlett tornou esse papel tudo menos básico.

  1. História de Um Casamento (2019)

“História de um casamento”, de Noah Baumbach, é um retrato emocional, mas realista, de um casamento em colapso no qual Scarlett entregou uma performance sublime.

Ela atuou como a mãe dedicada e esposa leal de um ator de sucesso que, eventualmente, descobre que merecia mais da vida.

O filme foi equilibrado com drama, romance, questões críticas e, às vezes, comédia. Adam Driver e Scarlett Johansson como casal fizeram um retrato honesto, mas de partir o coração, de duas pessoas infelizes em um casamento.

A atuação poderosa de Scarlett neste filme justifica totalmente sua indicação ao Oscar.

  1. Ponto Final (2005)

Todo mundo adora um terror psicológico único com um final surpreendente. Ponto Final, de Woody Allen, é esse filme em um cenário britânico.

Como Nola Rice, uma mulher americana tendo um caso com Jonathan Rhys Meyers em Londres, Scarlett emite ferocidade no drama adulto de Woody Allen.

Apesar do fato de que sua personagem encontra um final trágico na metade do filme, ela rouba o show como a ‘outra mulher’ e uma pessoa legitimamente enfurecida, que está longe de ser louca.

Fonte: The Business Standard

20.11
2021

Scarlett Johansson está fazendo seu primeiro tapete vermelho desde que ela e o marido, Colin Jost, deram as boas-vindas ao filho, Cosmo, em agosto. A estrela de Viúva Negra foi homenageada com o Prêmio da Cinemateca Americana no 35º Prêmio Anual da Cinemateca Americana na noite de quinta-feira, onde ela conversou com Nischelle Turner do ET sobre deixar para trás sua “bolha de felicidade pelo bebê” para aceitar a homenagem.

“Me sinto muito feliz por poder aproveitar este momento para realmente aproveitar os primeiros estágios de minha maternidade com nosso filho”, disse Johansson. “Tem sido maravilhoso. Estou em uma ‘bolha de felicidade pelo bebê’.”

A filha de sete anos da atriz de 36 anos, Rose, no entanto, não é tão apaixonada pelo bebê Cosmo quanto seus pais.

“Ela tem sete anos, então está muito ocupada, tipo, ‘Oh sim, ele é fofo. Então, aconteceu isso,’ [apenas] não para de falar”, brincou a mãe de dois filhos.

O prêmio, que é concedido a alguém que fez uma contribuição significativa para a arte do cinema, teve a produtora executiva de Viúva Negra que foi o primeiro Vingador original a ganhar essa distinção em seu projeto autônomo, quase questionando onde ela estava em sua carreira.

“Quando me disseram que estava recebendo este prêmio, pensei, ‘Espera, acabou? Ainda estou no meio da minha vida, da minha carreira’ “, disse Johansson. “É uma experiência única, muito especial apenas para absorver tudo. Estou muito emocionada.”

Mas dificilmente é o fim do caminho para a super estrela, que disse que ama seu trabalho agora, mais do que nunca.

“Eu estive no meu caminho e amo meu trabalho agora, mais do que nunca. Acho que estou muito focado em melhorar e ser mais eficiente e explorar partes de mim que são desconfortáveis ​​de explorar e ter curiosidade sobre esses lugares e como usar isso no meu trabalho”, ela compartilhou. “Estou muito envolvida com isso, então, realmente não fui capaz de pensar sobre o que o legado significa, porque estou muito focada no trabalho agora.”

Ao receber a tão cobiçada homenagem, Johansson junta-se a nomes como Julia Roberts, Samuel L. Jackson, Robert Downey Jr. e Bradley Cooper, para citar alguns. A atriz da Marvel disse que ainda não caiu a ficha para ela, mas ela tem certeza que isso acontecerá em breve.

“Não caiu”, admitiu Johansson. “Não, de novo, [o] tema aqui é que estou realmente processando. Tenho certeza de que amanhã e nos próximos dias, poderei apenas dizer: ‘Uau, não posso acreditar que isso aconteceu comigo.’ Mas estou tentando estar presente no momento. Mas a ficha vai cair. Tenho certeza de que vai.”

Fonte: Entertainment Tonight


Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Alguns direitos reservados - Host: Flaunt Network | DMCA | Privacy Policy